Av. Presidencial Ernesto Geisel, 1173 - Centro, Aruaru - Ceará | Fone: (88) 3422-5198

Paróquia São João Batista Aruaru - Ceará

Papa Francisco pede que sacerdotes sejam pastores próximos e não “donos do campo”

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

O Papa Francisco pediu aos sacerdotes, durante a Missa celebrada na Casa Santa Marta na manhã de hoje, que sejam pastores próximos em meio ao povo de Deus e que não sejam como o “dono do campo” que “bate nas ovelhas”.

O Santo Padre comentou, em sua homilia, a passagem evangélica da ressurreição da filha de Jairo e a cura de uma mulher que sofria fluxo de sangue. O Pontífice destacou “a grande multidão que seguia Jesus” ao longo do caminho.

Nesse sentido, destacou que Jesus gostava de sentir-se no meio do povo, de eliminar toda a distância entre ele e aqueles que o seguiam com esperança.

Francisco brincou: “Jesus não abre um escritório de aconselhamento espiritual com um cartaz ‘O profeta recebe segunda, quarta e sexta das 15 às 17. A entrada custa tanto ou, se quiserem, podem deixar uma oferta’. Não. Jesus não faz assim. Jesus tampouco abriu um consultório médico com o cartaz ‘Os doentes devem vir tal dia, tal dia, tal dia e serão curados’. Jesus se joga no meio do povo”.

“E esta é a figura de pastor que Jesus nos dá: um sacerdote santo que acompanhava assim o seu povo”, explicou o Santo Padre.

É assim como a mulher doente consegue aproximar-se de Jesus e ser curada depois de tocar o seu manto. “O pastor é ungido com óleo no dia de sua ordenação: sacerdotal e episcopal. Mas o verdadeiro óleo, aquele interior, é o óleo da proximidade e da ternura”.

“O pastor que não sabe se fazer próximo, falta a ele alguma coisa: talvez seja o dono do campo, mas não é um pastor. Um pastor ao qual falta a ternura, será um rígido, que bate nas ovelhas. Proximidade e ternura: vemos isso aqui. Assim era Jesus”.

O Pastor que segue Jesus “termina o seu dia cansado”, cansado de “fazer o bem”, afirmou o Papa. Assim, o povo sentirá a presença viva de Deus.

O Papa Francisco terminou sua homilia propondo rezar pelos pastores, “para que o Senhor dê a eles esta graça de caminhar com o povo, estar presente em meio ao povo com tanta ternura, com tanta proximidade. E quando o povo encontra o seu pastor, tem aquele sentimento especial que somente se pode sentir na presença de Deus – e assim termina a passagem do Evangelho: ‘E todos ficaram admirados’. A admiração de sentir a proximidade e a ternura de Deus no pastor”.

Fonte: acidigital.com