Av. Presidencial Ernesto Geisel, 1173 - Centro, Aruaru - Ceará | Fone: (88) 3422-5198

Paróquia São João Batista Aruaru - Ceará

Papa pede, durante Ângelus, luta e apreço pela vida

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Francisco ainda lembrou que a paz e a vida não podem ser esquecida pelas pessoas, num mundo que cada vez mais as desvaloriza

Neste 5º domingo do tempo comum, durante a oração Mariana do Ângelus, o Papa Francisco falou aos fiéis que se aglomeravam junto à Praça São Pedro sobre a luta pela vida e de seu apreço pelas pessoas que a preservam. Antes, porém, o Santo Padre lembrou passagem de Cristo por Cafarnaum, quando curou doentes e chamou a atenção do povo para suas ações ― logo após curar a sogra do apóstolo Pedro.

“O Senhor suscitou a fé nas pessoas”, exaltou o Papa em sua fala. “As pessoas passaram a levar todos os doentes que conheciam para que fossem curados. Jesus não faz a pregação de laboratório, separado das pessoas. Ele está em meio à multidão e passou Sua vida em meio a elas para curar suas feridas físicas e espirituais”, reiterou.

Após este evento, Francisco explicou que a popularidade de Cristo entre os mais necessitados cresceu, fazendo com que mais fiéis trouxessem seus afligidos entes queridos para pudessem ser tocados pela bondade do Filho de Deus ― que parte às aldeias da redondeza para pregar a Palavra de Deus. “Este evento coloca a missão da Igreja sob o signo do andar, a Igreja em caminho, sob o sinal de movimento, e nunca estática”, afirmou.

Movimento pela Vida

O Papa Francisco saudou os fiéis e participantes do Movimento pela Vida, liderado por fiéis italianos ― que atentamente ouviam as palavras do Santo Padre na Praça de São Pedro, no dia em que a Itália comemora o Dia pela Vida. “Exprimo meu apreço por todas as realidades eclesiais que lutam pela vida e saúdo os expoentes aqui presentes. Isto me preocupa, pois não são muitos aqueles que lutam pelas vidas. No mundo, cada vez se fazem mais armas e leis contra a vida, a cultura do descarte, descartar aqueles que não servem. Rezemos pelo povo que passa por este momento de descarte”, exortou.

A Quaresma também foi lembrada pelo Papa, que pediu a união de todos os fiéis, sejam eles cristãos ou não, para um mundo em que reine a concórdia e a harmonia. “Como em outras ocasiões, mesmo os não-católicos e cristão, que possamos rezar juntos. O Nosso Pai Celeste sempre escuta Seus filhos que gritam por Ele na angústia. Que cada um de nós também possa ouvir este grito e se pergunte: ‘o que posso fazer pela paz?’”, disse.

 

Fonte: noticias.cancaonova.com